terça-feira, 2 de agosto de 2011

Criptólogo diz ter decifrado enigma do zodíaco.

Assassino do Zodíaco, este foi o nome atribuído ao serial killer que, tendo atuado na década de 1960, ficou famoso por igualar um feito de Jack, o Estripador - o primeiro serial killer registrado da história que nunca foi pego.
Após atirar contra dois casais e o namorado de um deles sobreviver e fazer um retrato falado do assassino a polícia, Zodíaco passou a se corresponder com a polícia - novamente de forma similar a Jack.

"...Adoro matar pessoas...é mais divertido do que caçar, porque o homem é o animal mais perigoso de todos. Meu nome é Zodíaco. Matei dez pessoas, e matarei ainda mais. Quando morrer renascerei no paraíso e todos que matei serão meus escravos", disse ele em uma das cartas.

Após mais alguns assassinatos, ele enviou uma carta a polícia onde afirmou que mudaria o modo de ação e que seus crimes não seriam mais reconhecidos, e pareceriam latrocínios. Os poucos sobreviventes de seus assassinatos ajudaram a polícia a fazer um perfil psicológico onde atribuíram a ele conhecimentos profundos de tiro, química, mitologia e ocultismo. Terminou sua última correspondência com a afirmação de que jamais seria preso, o que se confirmou.
Suas ações inspiraram filmes como Zodíaco, de David Fincher. Em 2009, Deborah Pérez, de 47 anos, deu um depoimento onde afirmou que era filha de Zodíaco e afirmou que ele se chamava Guy Ward Hendrickson e morreu há 28 anos.
Não sei como foi o andamento das investigações quanto a autenticidade do depoimento, mas Corey Starliper, um decifrador de códigos por hobby, afirmou que conseguiu quebrar o código criptográfico usado por ele em suas correspondências - que há 40 anos ainda é um segredo.
Segundo dados da polícia, o código de Zodíaco continha 408 caracteres.
A primeira vez que vi esse código foi a um par de anos atrás, e eu sabia que poderia ser quebrado. Foi apenas o instinto, eu tinha um pressentimento de que poderia ser quebrado. Qualquer código criado pelo homem pode ser quebrado pelo homem".

Ele conta que foi o próprio filme Zodíaco que despertou seu interesse, além do clima de mistério pesado que envolve os assassinatos. Durante os trabalhos, ele criou duas sessões diárias - uma com 3 horas e a outra com 6 - para a decodificação, e conseguiu o seguinte texto final (em inglês):



KILL/SLF/DR/HELP/ME/KILL/MYSELF/GAS/CHAMBER/AEIOUR/DAYS/QUESTIONSABLE/EVERYY/WAKING/MOMENT/IM/ALIVE/MY/PRIDE/LOST/I/CANT/GO/ON/LIVING/IN/THIS/WAY/KILLING/PEOPLE/I/HAV/KILLD/SO/MANY/PEOPLE/CANT/HELP/MYSELF/IM/SO/ANGRY/I/COULD/DO/MY/THING/IM/ALONE/IN/THIS/WORLD/MY/WHOLE/LIFE/FUL/O/LIES/IM/UNABLE/TO/STOP/BY/THE/TIME/YOU/SOLVE/THIS/I/WILL/HAV/KILLD/ELEVEN/PEOPLE/PLEASE/HELP/ME/STOP/KILLING/PEOPLE/PLEASE/MY/NAME/IS/LEIGH/ALLEN/

O Arthur Leigh Allen do final do texto era o principal suspeito da polícia, mas foi solto após um exame caligráfico livrar a cara dele - Allen morreu em 1992 aos 58 anos.

Starliper usou diversas chaves criptográficas para decifrar o código, entre elas, usar o número 340 como uma espécie de de padrão alfabético, já que o número é o código de área das Virgin Islands, região onde ocorreram vários crimes dele. Para a substituição dos símbolos por letras ele usou o complexo Caesar cipher, substituindo os símbolos por uma letra três posições a frente no alfabeto (lembra do 340?). Daí pra frente a coisa fica complexa demais pra minha cabeça - 1:40h da matina, dêem um desconto (clique no primeiro link e capriche no inglês).

A solução apresentada por ele não foi uma unanimidade entre criptólogos. Dois especialistas que viram a carta decodificada afirmaram que, “apesar da solução ser válida e consistente, aparentemente, ainda não condiz com a verdade”. Comentaristas dos textos, afirmaram que 340 só foi ser o código das Virgin Islands em 1997, o que exclui a utilização do número, a não ser Zodíaco pudesse prever o futuro.

0 comentários:

Postar um comentário